DENTRO é lançado no Youtube!

Apresento a vocês o meu novo filme em curta-metragem DENTRO. Um trabalho independente que traz Ruth Flôres em sua estreia como atriz.

Falar sobre o DENTRO é falar sobre a sensação de dever cumprido. Em um país onde cada vez mais a cultura é deixada de lado é importante dar voz ao que acontece no cenário local e sou muito grato ao acolhimento que o filme teve de toda a mídia em geral.

Também gostaria de agradecer ao secretário de cultura Osvaldo André por acreditar no filme e nos brindar com sua ilustre presença no lançamento, e pelas belas palavras e reflexão feita após a exibição.

Meu encontro com a Ruth se resume em gratidão. Ela entregou a personagem Bárbara, toda a carga e dramaticidade que a mesma merecia e o resultado não poderia ser nada menos que magnífico. Obrigado mais uma vez Ruth, o DENTRO te lançou no cinema e a sua caminhada está apenas começando.

Para os que irão assistir deixo aqui uma certeza, #SomosTodosBárbara, todos temos que lutar dia-a-dia com nossas dores, nossos escuros.

Espero que o filme mexa com vocês da mesma forma que mexeu com todos os envolvidos e espero que ele seja uma voz para todos que se identifiquem com a personagem, afinal, de qual escuridão estamos falando, com qual dentro estamos lidando.

Uma história universal, é assim que resumo o DENTRO.

A caminhada está apenas começando, e te convido para imergir dentro desta história. Está pronto para estar DENTRO?

#DENTRO #DENTROnoYoutube

Anúncios

Um olhar sobre o meu novo filme em curta-metragem “DENTRO”

Um olhar sobre o meu novo filme em curta-metragem DENTRO que será lançado em breve. Uma análise da psicóloga Lidiane Silva.

Dê o play e confira o vídeo na íntegra!

Conheça “DENTRO”, a minha nova história em curta-metragem

DENTRO é a minha nova história em curta-metragem, um suspense psicológico onde a escuridão é a maior protagonista.

Confira a sinopse:

Uma jovem mulher se encontra presa dentro de um quarto escuro. Em meio aos gritos de pedido de socorro, uma fresta de luz parece ser o fim da sua clausura, ou não.

site

DENTRO (Curta-metragem)

site

CENA 1 QUARTO/ INT./NOITE

BÁRBARA:
Que isso, porque que está tudo escuro? (Aflita)
Onde estou? (Respiração ofegante)
Me tira daqui, me tira daqui (Aos berros)

O escuro persiste, sons da gosta d’água contrastam com a respiração ofegante de Bárbara.

BÁRBARA:
Eu não gosto do escuro, porque você me trancou aqui.
Me deixa sair, me deixa sair!

Bárbara insiste em ser libertada, mas sem sucesso. Na verdade ela ainda não sabe se está ou não acompanhada neste ambiente escuro.

BÁRBARA:
Tem alguém aqui?(Voz trêmula)
Me responde,
tem alguém aqui?(Voz alterada)

Não adianta, Bárbara realmente parece estar só. O ambiente escuro e frio com os sons da goteira d’água começam a incomodar, o som da goteira começa a enlouquecer Bárbara.

(TRECHO RETIRADO DO ROTEIRO)

Conheça meu novo curta-metragem “hands” feito especialmente para o Festival do Minuto de São Paulo

As mãos possuem o poder único do toque. Elas carregam em si a dualidade, a mesma mão que acaricia também pode machucar. Elas também são uma forma de se comunicar.

hands – uma palavra, vários sentidos!

“hands” é o meu novo trabalho em curta-metragem feito para concorrer ao Festival do Minuto de São Paulo.

TUDO QUE EU NUNCA TEREI (Média-metragem)

tudo-que-eu-nunca-terei

Confira abaixo um trecho da história:

CENA 3 CASA INT./DIA

É possível ver o pai e a mãe de Pedro pela casa. Pedro está em seu quarto olhando fotos da pousada pela internet. Com umas anotações em mãos Pedro se levanta e vai em direção ao seu pai.

PEDRO:
Pai.

AUGUSTO:
Sim.

PEDRO:
Qual trajeto é melhor para Búzios?

AUGUSTO:
Nossa filho, preciso pesquisar no mapa. Já tem um bom tempo que não pego estrada sentido Rio.

PEDRO:
Que mapa pai, aqui pelo celular da pra ver de boa. É que tem dois trajetos mas estão dando algumas horas de diferença.

(TRECHO RETIRADO DO ROTEIRO)

Conheça a minha nova história de média-metragem, TUDO QUE EU NUNCA TEREI

O ano de 2017 está a todo vapor. Após iniciar o mês de janeiro com meu novo roteiro de curta-metragem intitulado “A NOSSA HISTÓRIA DE AMOR”, apresento a vocês minha nova história, o média-metragem TUDO QUE EU NUNCA TEREI.

TUDO QUE EU NUNCA TEREI é um drama que coloca em discussão o sentido da vida, afinal acreditamos a todo momento ter o controle de algo que é muito maior que gente, a própria vida.

Segue abaixo a sinopse oficial:

Pedro e Clara são um jovem casal universitário. Apaixonados, eles fazem planos de uma vida a dois e planejam um lindo futuro juntos. Porém, eles irão descobrir que não há um roteiro a ser seguido quando quem dita as regras é a própria vida.

tudo-que-eu-nunca-terei

Curta-metragem NINGUÉM PODE TE OUVIR completa um ano no youtube

Sim, meu primeiro curta-metragem produzido na cidade maravilhosa (Rio de Janeiro) completou um ano no dia 6 de fevereiro, data em que ele foi lançado no youtube.

O suspense que traz grandes influências e referências do gênero, foi noticiado no maior site de horror da América Latina, o Boca do Inferno e foi selecionado para a Mostra de Cinema Digital de Uberaba no qual concorreu na categoria Júri Popular.

Abaixo você confere algumas matérias e o curta-metragem na íntegra.

Boca do Inferno:

http://bocadoinferno.com.br/cinema/2016/04/confira-o-curta-nacional-ninguem-pode-te-ouvir/

Portal Centro Oeste:

http://portalcentrooeste.com/divinopolitano-estreia-com-curta-feito-na-academia-internacional-de-cinema/

Sistema MPA:

http://www.sistemampa.com.br/radio94/curta-produzido-por-divinopolitano-e-revelacao-na-academia-internacional-de-cinema-assista/

Filmow:

http://wwww.filmow.com/ninguem-pode-te-ouvir-t215884/

Assista ao curta:

2017 chegou com novas histórias

Ano novo, histórias novas!

Sim, 2017 começou e apresento o meu novo roteiro de curta-metragem intitulado “A NOSSA HISTÓRIA DE AMOR”.

Antes de mais nada, é uma história sobre o amor, uma história sobre celebrar o amor!

Confira abaixo a sinopse da história:
Todo ano, Antônio, um senhor de aproximadamente 50 anos escreve uma carta para a pessoa amada em comemoração ao aniversário de casamento. Sentado no banco de uma praça, palavras ditas ao ar contracenam com as lembranças de um amor vivido.

print