Confira a crítica da psicóloga Bruna Diniz Miguel sobre o filme DENTRO

Dentro é um curta-metragem que retratou perfeitamente a linguagem da depressão, nos ajudando a entender a forma como aqueles que sofrem com isso pensam e se sentem. O escuro, o medo, a culpa, a negação, as sombras, o pedido de ajuda, a solidão e o desespero pela cura da dor, através da morte.

O filme acompanha um dia dentro do emocional de uma jovem depressiva se questionando de onde vem essa dor sem nome, tentando se encontrar e sair de dentro daquele corpo estranho. O monólogo sugere que pessoas depressivas estão mais focadas nelas mesmas e menos conectadas aos outros.

Com cenas fortes tão tocantes que passamos a sentir a angústia batendo dentro no nosso próprio peito. Uma dor física vinda do emocional de uma menina representada lindamente pela atriz. Roteiro, direção e interpretação merecedores de todos os prêmios.

Parabéns Alisson! Curta-metragem de talento e sensibilidade inquestionáveis!

 

CRÍTICA BRUNA

DENTRO é selecionado para mais um festival internacional

O filme em curta-metragem DENTRO, foi selecionado para o seu segundo festival internacional, o ”7º Mumbai Shorts International Film Festival – 18” que acontece no dia 2 de dezembro em Mumbai na índia.

O filme concorre em 4 categorias:
Menção Especial do Festival
Menção Honrosa do Júri
Melhor Diretor
Melhor Filme (em curta-metragem)

Estou extremamente feliz e orgulhoso, ter um filme de baixíssimo orçamento e de produção independente representando o nosso país, já é uma grande vitória!

Viva o cinema nacional independente!

COMEMORAÇÃO

Confira abaixo a crítica do escritor e psicanalista “Eduardo Lucas Andrade” sobre o filme DENTRO

O curta-metragem de Alisson Resende é tocante, nome certeiro e de uma profundidade que da vontade de adentrar na sombria cena. O curta tem bem aventurado trabalho de transmissão e faz sentir a angústia desassossegando o espectador a uma instigante expectativa de salvar a personagem, que presa, está presa em si mesma, pedindo gritantemente de forma repetitiva e sem força para dali sair. Sair de si? Ou sair do sofrer psíquico que aprisiona sem o pensamento saber o porquê? Sua força são gritos no interno, é linguagem que goteja, é pedido de socorro que não sai com tamanha potência conforme gritado; sai pelas brechas da porta encaixada – mas sai despedaçando a imagem do que fala.

A angústia aprisionada sem a possibilidade de se ver, sem a possibilidade de não ser mais que um sentir-se encolhido no calabouço da solidão me faz pensar numa caverna de Platão da solidão. O espelho quebrado, irrefletido, desperdiçado. A perda da imagem para as sombrias angustias do ser é retratada.  O sujeito nas brechas da porta consegue sair apenas em parte, e apenas em parte o outro pode ajudar, pois quando ouvimos o sofrimento de alguém, escutamos apenas pormenorizadas sensações daquele sofrer, pois o mesmo, pela sua cortante vértice real não se partilha totalmente.

O curta aborda com firmeza a depressão, a retirada do sujeito de seu lugar e o suplício pela morte querendo acabar com a dor que a assola. O suicídio é tema tocado e fica nítido que ele conforme possibilitado no curta é alternativa do sujeito que quer acabar com o insuportável que está acabando com ele, não com a vida. Quer sair! É curta, mas parece longínquo, pois angústia retarda a relatividade do tempo, para quem sofre minutos são horas. O de dentro precisa respirar, sair, daí cortes os cortes feitos por adolescentes, daí corações indo à goela em batidas de vida que ao irem no limite mais parecem morte.

A abertura da aorta causa medo, o mesmo podemos dizer da porta. Sair, mas o que espera do lado de fora? Como foi parar ali? Quem poderá ajudar? A vontade de ajudar que o suspense coloca é justamente o ponto dentro – não criticar, não julgar, acolher e ofertar saídas é que podem ser pontos de ajuda viva! Somos todos bebês desamparados frente a forca psíquica da clausura.

A excelente atriz, Ruth Flôres que atuou como Bárbara vestiu a angústia a sério, pois este sinal de alerta é justamente um grito que traz tentativas de se reviver! Bárbara, feliz nome elegido, pois é bárbara aquela pessoa que luta com as amarguras da vida tentando sair e erguer-se das caídas da vida!

Eduardo Lucas Andrade, escritor e psicanalista.

crítica

Confira uma matéria especial sobre o filme DENTRO

Os estudantes de jornalismo da UEMG Alecsander Alves e Allan Alves fizeram um projeto denominado VITRINE e seu episódio de estreia foi sobre o meu novo filme DENTRO. Estou agradecido e honrado pelo excelente trabalho.

DENTRO é um grande filme feito de forma independente, com muita qualidade, entrega e amor e vocês conseguiram retratar isso nesse trabalho.

Sobre o Vitrine:

O VITRINE é um projeto experimental de um programa para web que busca expor o trabalho de artistas e pessoas ligadas à cultura, do município de Divinópolis e região. Realizado por alunos do 7º período de Jornalismo da UEMG.

DENTRO é lançado no Youtube!

Apresento a vocês o meu novo filme em curta-metragem DENTRO. Um trabalho independente que traz Ruth Flôres em sua estreia como atriz.

Falar sobre o DENTRO é falar sobre a sensação de dever cumprido. Em um país onde cada vez mais a cultura é deixada de lado é importante dar voz ao que acontece no cenário local e sou muito grato ao acolhimento que o filme teve de toda a mídia em geral.

Também gostaria de agradecer ao secretário de cultura Osvaldo André por acreditar no filme e nos brindar com sua ilustre presença no lançamento, e pelas belas palavras e reflexão feita após a exibição.

Meu encontro com a Ruth se resume em gratidão. Ela entregou a personagem Bárbara, toda a carga e dramaticidade que a mesma merecia e o resultado não poderia ser nada menos que magnífico. Obrigado mais uma vez Ruth, o DENTRO te lançou no cinema e a sua caminhada está apenas começando.

Para os que irão assistir deixo aqui uma certeza, #SomosTodosBárbara, todos temos que lutar dia-a-dia com nossas dores, nossos escuros.

Espero que o filme mexa com vocês da mesma forma que mexeu com todos os envolvidos e espero que ele seja uma voz para todos que se identifiquem com a personagem, afinal, de qual escuridão estamos falando, com qual dentro estamos lidando.

Uma história universal, é assim que resumo o DENTRO.

A caminhada está apenas começando, e te convido para imergir dentro desta história. Está pronto para estar DENTRO?

#DENTRO #DENTROnoYoutube

DENTRO ganha reportagem especial no MGTV

O meu novo filme em curta-metragem DENTRO ganhou uma reportagem especial no MGTV 1ª edição da TV Globo.

Estou muito feliz com toda a receptividade que meu novo filme tem tido pela mídia no geral.

No link abaixo você confere a reportagem no site do G1.

Clique aqui: Cineasta de Divinópolis grava curta-metragem de suspense na cidade

Conheça “DENTRO”, o meu novo curta-metragem

Na última terça-feira dia 5, foi liberado em meu canal no youtube o teaser do meu mais novo trabalho em curta-metragem intitulado DENTRO.

Se você tiver medo da escuridāo com certeza você vai se reconhecer. E se nāo tiver medo, também! Afinal, existem várias escuridões e muitas insistem em fazer parte do nosso cotidiano, da nossa vida… até mesmo sem dar sinais evidentes! E é por isso que eu te convido a conhecer um pouco do meu 4° curta-metragem: DENTRO. Um suspense psicológico que será lançado em breve.

Ela está DENTRO. Mas DENTRO de onde? #Descubra