Sus/pirou – a minha nova história em curta-metragem

Mais um filho nasceu!

As pessoas constantemente me falavam que eu deveria escrever uma história sobre esse momento que estamos vivendo na pandemia. Eu relutei bastante, talvez porque fosse difícil, pra mim também, falar sobre isso.

Mas me coloquei na missão de tentar criar algo real, algo que fale sobre as nossas relações e as dores que sentimos. Esses sentimentos existem mesmo antes da pandemia, mas sim, foram intensificados agora.


No fim eu criei uma história que julgo ser triste e necessária. É sobre a pandemia mas também é sobre a solidão, sobre os adoecimentos do corpo e da alma.

Confira abaixo a sinopse:

Uma mulher em crise se tranca dentro de um quarto escuro. Enquanto as horas passam, algumas verdades vem à tona e ela precisa decidir se irá lidar com a realidade ou sucumbir ao seu pesadelo interno.

Apresentação | TEMPO

O tempo rege nossas vidas a todo momento, é ele quem dita as regras. Ele transcende, transforma e modifica, faz pulsar amor, dor e alegrias. Mas será que é possível controlar o tempo ou seria ele o senhor de todas as regras?

TEMPO – a minha nova história em curta-metragem.

Dê o play e confira a apresentação especial:

TEMPO | Minha nova história em curta-metragem

Ultimamente tenho tido um tempo maior comigo, observando e organizando o meu universo particular. Percebi então a importância do tempo em nossas vidas e essa infinita importância me inspirou a escrever minha nova história em curta-metragem.

Confira abaixo, a sinopse:

O tempo rege nossas vidas a todo momento, é ele quem dita as regras. Ele transcende, transforma e modifica, faz pulsar amor, dor e alegrias. Mas será que é possível controlar o tempo ou seria ele o senhor de todas as regras?

#TEMPO

TEMPO

Confira a crítica da psicóloga Bruna Diniz Miguel sobre o filme DENTRO

Dentro é um curta-metragem que retratou perfeitamente a linguagem da depressão, nos ajudando a entender a forma como aqueles que sofrem com isso pensam e se sentem. O escuro, o medo, a culpa, a negação, as sombras, o pedido de ajuda, a solidão e o desespero pela cura da dor, através da morte.

O filme acompanha um dia dentro do emocional de uma jovem depressiva se questionando de onde vem essa dor sem nome, tentando se encontrar e sair de dentro daquele corpo estranho. O monólogo sugere que pessoas depressivas estão mais focadas nelas mesmas e menos conectadas aos outros.

Com cenas fortes tão tocantes que passamos a sentir a angústia batendo dentro no nosso próprio peito. Uma dor física vinda do emocional de uma menina representada lindamente pela atriz. Roteiro, direção e interpretação merecedores de todos os prêmios.

Parabéns Alisson! Curta-metragem de talento e sensibilidade inquestionáveis!

 

CRÍTICA BRUNA

DENTRO é selecionado para mais um festival internacional

O filme em curta-metragem DENTRO, foi selecionado para o seu segundo festival internacional, o ”7º Mumbai Shorts International Film Festival – 18” que acontece no dia 2 de dezembro em Mumbai na índia.

O filme concorre em 4 categorias:
Menção Especial do Festival
Menção Honrosa do Júri
Melhor Diretor
Melhor Filme (em curta-metragem)

Estou extremamente feliz e orgulhoso, ter um filme de baixíssimo orçamento e de produção independente representando o nosso país, já é uma grande vitória!

Viva o cinema nacional independente!

COMEMORAÇÃO

Confira abaixo a crítica do escritor e psicanalista “Eduardo Lucas Andrade” sobre o filme DENTRO

O curta-metragem de Alisson Resende é tocante, nome certeiro e de uma profundidade que da vontade de adentrar na sombria cena. O curta tem bem aventurado trabalho de transmissão e faz sentir a angústia desassossegando o espectador a uma instigante expectativa de salvar a personagem, que presa, está presa em si mesma, pedindo gritantemente de forma repetitiva e sem força para dali sair. Sair de si? Ou sair do sofrer psíquico que aprisiona sem o pensamento saber o porquê? Sua força são gritos no interno, é linguagem que goteja, é pedido de socorro que não sai com tamanha potência conforme gritado; sai pelas brechas da porta encaixada – mas sai despedaçando a imagem do que fala.

A angústia aprisionada sem a possibilidade de se ver, sem a possibilidade de não ser mais que um sentir-se encolhido no calabouço da solidão me faz pensar numa caverna de Platão da solidão. O espelho quebrado, irrefletido, desperdiçado. A perda da imagem para as sombrias angustias do ser é retratada.  O sujeito nas brechas da porta consegue sair apenas em parte, e apenas em parte o outro pode ajudar, pois quando ouvimos o sofrimento de alguém, escutamos apenas pormenorizadas sensações daquele sofrer, pois o mesmo, pela sua cortante vértice real não se partilha totalmente.

O curta aborda com firmeza a depressão, a retirada do sujeito de seu lugar e o suplício pela morte querendo acabar com a dor que a assola. O suicídio é tema tocado e fica nítido que ele conforme possibilitado no curta é alternativa do sujeito que quer acabar com o insuportável que está acabando com ele, não com a vida. Quer sair! É curta, mas parece longínquo, pois angústia retarda a relatividade do tempo, para quem sofre minutos são horas. O de dentro precisa respirar, sair, daí cortes os cortes feitos por adolescentes, daí corações indo à goela em batidas de vida que ao irem no limite mais parecem morte.

A abertura da aorta causa medo, o mesmo podemos dizer da porta. Sair, mas o que espera do lado de fora? Como foi parar ali? Quem poderá ajudar? A vontade de ajudar que o suspense coloca é justamente o ponto dentro – não criticar, não julgar, acolher e ofertar saídas é que podem ser pontos de ajuda viva! Somos todos bebês desamparados frente a forca psíquica da clausura.

A excelente atriz, Ruth Flôres que atuou como Bárbara vestiu a angústia a sério, pois este sinal de alerta é justamente um grito que traz tentativas de se reviver! Bárbara, feliz nome elegido, pois é bárbara aquela pessoa que luta com as amarguras da vida tentando sair e erguer-se das caídas da vida!

Eduardo Lucas Andrade, escritor e psicanalista.

crítica

Confira uma matéria especial sobre o filme DENTRO

Os estudantes de jornalismo da UEMG Alecsander Alves e Allan Alves fizeram um projeto denominado VITRINE e seu episódio de estreia foi sobre o meu novo filme DENTRO. Estou agradecido e honrado pelo excelente trabalho.

DENTRO é um grande filme feito de forma independente, com muita qualidade, entrega e amor e vocês conseguiram retratar isso nesse trabalho.

Sobre o Vitrine:

O VITRINE é um projeto experimental de um programa para web que busca expor o trabalho de artistas e pessoas ligadas à cultura, do município de Divinópolis e região. Realizado por alunos do 7º período de Jornalismo da UEMG.

DENTRO é lançado no Youtube!

Apresento a vocês o meu novo filme em curta-metragem DENTRO. Um trabalho independente que traz Ruth Flôres em sua estreia como atriz.

Falar sobre o DENTRO é falar sobre a sensação de dever cumprido. Em um país onde cada vez mais a cultura é deixada de lado é importante dar voz ao que acontece no cenário local e sou muito grato ao acolhimento que o filme teve de toda a mídia em geral.

Também gostaria de agradecer ao secretário de cultura Osvaldo André por acreditar no filme e nos brindar com sua ilustre presença no lançamento, e pelas belas palavras e reflexão feita após a exibição.

Meu encontro com a Ruth se resume em gratidão. Ela entregou a personagem Bárbara, toda a carga e dramaticidade que a mesma merecia e o resultado não poderia ser nada menos que magnífico. Obrigado mais uma vez Ruth, o DENTRO te lançou no cinema e a sua caminhada está apenas começando.

Para os que irão assistir deixo aqui uma certeza, #SomosTodosBárbara, todos temos que lutar dia-a-dia com nossas dores, nossos escuros.

Espero que o filme mexa com vocês da mesma forma que mexeu com todos os envolvidos e espero que ele seja uma voz para todos que se identifiquem com a personagem, afinal, de qual escuridão estamos falando, com qual dentro estamos lidando.

Uma história universal, é assim que resumo o DENTRO.

A caminhada está apenas começando, e te convido para imergir dentro desta história. Está pronto para estar DENTRO?

#DENTROnoYoutube

Curta-metragem DENTRO

Sinopse: Bárbara se encontra presa dentro de um local escuro. Em meio aos gritos de socorro, uma fresta de luz parece ser o fim de sua clausura, ou não.

Atenção: Este filme trata sobre questões relacionadas a depressão. Pessoas que tenham ansiedade e/ou pânico devem assistí-lo com cautela.

Imagem, Fotografia, Som, Edição, Montagem, Finalização, Roteiro e Direção: Alisson Resende

Apresentando: Ruth Flôres como Bárbara
Produção Independente, todos os direitos reservados.

Seleções Oficiais:

7º Delhi Shorts International Film Festival – 18
7º Mumbai Shorts International Film Festival – 18
9º Dada Saheb Phalke Film Festival – 19

PÔSTER OFICIAL

PÔSTER OFICIAL DENTRO LAUREL

DENTRO ganha reportagem especial no MGTV

O meu novo filme em curta-metragem DENTRO ganhou uma reportagem especial no MGTV 1ª edição da TV Globo.

Estou muito feliz com toda a receptividade que meu novo filme tem tido pela mídia no geral.

No link abaixo você confere a reportagem no site do G1.

Clique aqui: Cineasta de Divinópolis grava curta-metragem de suspense na cidade

Conheça “DENTRO”, o meu novo curta-metragem

Na última terça-feira dia 5, foi liberado em meu canal no youtube o teaser do meu mais novo trabalho em curta-metragem intitulado DENTRO.

Se você tiver medo da escuridāo com certeza você vai se reconhecer. E se nāo tiver medo, também! Afinal, existem várias escuridões e muitas insistem em fazer parte do nosso cotidiano, da nossa vida… até mesmo sem dar sinais evidentes! E é por isso que eu te convido a conhecer um pouco do meu 4° curta-metragem: DENTRO. Um suspense psicológico que será lançado em breve.

Ela está DENTRO. Mas DENTRO de onde? #Descubra